sábado, 7 de maio de 2016

Para a minha mãe



Mãe, tenho certeza de que infelizmente não estaremos juntos para sempre. Porque assim é esse planeta! Tudo pode mudar na velocidade de um fósforo riscado ou um dedo estalado.
E, o mundo que vai tão bem, pode se desfazer com um telefonema, uma mensagem, um encontro ou uma correspondência. O universo conhecido pode se desmantelar completamente para depois se reconstruir, com novas peças, novas pessoas, novos lugares.
E daqui a alguns anos – ou algumas horas – talvez eu esteja na Itália, no Alasca curtindo a aurora boreal… ou, quem sabe?, morando em algum aquário escondido dentro do enorme oceano, sem consciência de mim.
E a senhora pode também descobrir alguma louca paixão pela jardinagem e viajar pelo planeta exibindo algumas orquídeas raríssimas ou participar de algum torneio de foxtrot, após descobrir uma inesquivável paixão pela dança… Ou talvez faça aquela viagem interplanetária e vá conhecer outros seres e outras existências, até viver num mundo onde não há mais sofrimento… apenas amor!
Por isso é importante demonstrar o afeto hoje… No presente! Pois o passado é imutável e o futuro nem existe, pois no instante em que passa a ser: torna-se!
E é neste presente que eu digo “te amo”, valorizando cada minuto juntos. Seja vendo programas policiais sangrentos na televisão ou indo ao cinema no domingo para assistir filmes ruins.
Sei que não fui o filho que a senhora sonhou. E a senhora também não foi perfeita, mas acredito que “diferença” é “somatória” na matemática de Deus. E somos seres humanos melhores simplesmente porque somos tão desiguais.
Por isso, mãe, "Feliz Dia das Mães" neste presente. E saiba que se um dia não estivermos mais juntos, eternamente estaremos vivos um no outro. Pois somos a mesma matéria… O mesmo pó que, no futuro, será a molécula da mesma pétala de flor ou o mesmo átomo da mesma cauda de cometa, que cruzará o universo num rumo que nenhum ser humano jamais será capaz de imaginar. Mas não teremos medo, porque estaremos juntos.

Feliz dia das mães.