segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

O ocaso de um amor via sms


depois de alguma bebida, escrevi este sms gigante que mandei pro teu celular.

Eu te amo. Realmente. E, desse modo, não te quero ter. Te amo livre, como aquele carinho que temos pelos pássaros imóveis, que se equilibram nos galhos das árvores; uma fonte de prazer visual imenso que, de súbito, se extinguiria ao ser trancafiado em uma gaiola. Sempre acreditei que, pela tua beleza, encontrarias alguém que te amasse com mais simplicidade do que eu consegui. E o torço, do fundo do meu coração, que possam te fazer feliz na exata quantidade que sonhei, porém jamais concretizei. Espero que, livre, tu consigas ser alegre outra vez... E não te preocupes, pois se entre nos houver mesmo amor, em algum momento a nossa história vai recomeçar: nem que seja eu outra vida, quando formos pássaros.
Saulo Sisnando. 16.01.11 4h46

Nenhum comentário:

Postar um comentário