segunda-feira, 20 de julho de 2015




Dói essa sensação de impotência diante do mundo. A certeza de que não há palavras, ações, promessas ou deuses capazes de mudar a curso das coisas.
E percebo não fazer mais nada do meu tempo, senão tentar mudar o que é... E o que é para ser.
A distância sempre será medida em quilômetros...
O tempo contado em minutos...
E a saudade, em amor.

(E as três medidas nunca diminuem.)

Saulo Sisnando

Um comentário:

  1. Saulo, abado de assistir A Solteirona em overdose! Gostei de tudo, mas GUTO é tudo e meis um pouquinho! Parabéns, de verdade! Ele é fofo! Um áraíso para qualquer roteirista! Bj enorme!

    ResponderExcluir