terça-feira, 29 de setembro de 2009

Você não apareceu*, de saulo sisnando


O seu lugar estava guardado
Marcado, fechado e trancafiado
Só seria aberto por nossos números,
Nossas senhas, nossas cenas obscenas
O seu lugar estava lá
Guardado no meio de tanta gente
Mas num lugar onde só você poderia me ver diferente,
Poderia me ver de frente e bem quente


Mas você não apareceu
E agora o lugar mudou de lugar
As senhas não são mais as mesmas
As cenas rastejam com lesmas
E tudo que era lindamente obsceno
Perdeu-se entre as trevas de minhas pernas
Virou lixo, pó
Vagas memórias
Pássaros sem penas
Lindas loucas histórias
Que jamais serão contadas
Mas eu conheço tuas velhas cantadas
E sei que as minhas senhas serão novamente roubadas


Rezo para isso
Para ouvir novamente teu riso
Povoando meu insensato juízo
Prece que ser
Nada mais que teu piso


"Saulo Sisnando"
escrevendo como "Saulo Sisnando"
* projeto "poeminhas"

2 comentários:

  1. Adorei. "nós" continua sendo meu pronome preferido.

    Virei sempre



    por sinal tentei entrar na lista de seguidores, mas por conta do meu semi-analfabetismo digital acho que coloquei minha conta antiga de blog...

    ResponderExcluir
  2. Nossa, não sabia que voce era poeta também. Parabéns!!!

    ResponderExcluir