segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Não fujas de mim



Escrito para a pessoa ausente e após tanto amor
na apresentação do grupo Verbus


"Não fujas de mim neste dia, pois ha horas a serem vividas, lábios a serem tocados e pudores a serem desvendados. Tende piedade desta amadora e não resignes ao altruísta temor de me fazer sofrer. Pois o estorvo é meu. Esteja comigo mesmo que instigado pelo egoísmo, sem se inquietar com meu tormento intimo. Pois, desde que te conheci, esta aflição que embebeda meu seio é o ultimo sobejo que inda me pertence e que é somente meu. Sem duvida, amado, neste óbolo que é nosso amor, as duas faces são doloridas: se ficares, não ha paz; se te fores, um turbilhão de dores. Desse modo escolho a nossa exaustão diária. Prefiro Sofrer junto a padecer avulsa. Afinal não nasci para ser só. Embora o destino disso não saiba”.


Saulo Sisnando
28.11.2010
23h56min

Nenhum comentário:

Postar um comentário